gravadora

Título: Nico Rezende canta Chet Baker
Ano: 2016
Número: 00003
Comprar

 

Nico Rezende canta Chet Baker com

 

Guilherme Dias Gomes, Fernando Clark, Alex Rocha e André Tandeta

 

1- Day Brake (Harold Anderson | Ferde Grofé)

 

2-But Not For Me (George Gershwin | Ira Gershwin)

 

3-I Fall In Love Too Easily (Jule Styne | Sammy Cahn)

 

4-I Remember You (Johny Mercer | Victor Shertztinger)

 

5-Time After Time (Sammy Cahn | Jule Styne)

 

6-Just Friends (John Klenner | Sam Lewis)

 

7-Let´S Get Lost (Frank Loesser | Jimmy Mc Hugh)

 

8-You Don´T Know What Love Is (Gene De Paul | Don Raye)

 

9-There Will Never Be Another You (Mack Gordon | Harry Warren)

 

10-Long Ago And Far Away (Ira Gershwin | Jerome Kern)

 

11-My Buddy (Irving Berlin | Walter Donaldson | Gus Kahn)

 

12-It´s Always You (Johnny Burke | Jimmy Van Heusen)

 

13-That Old Feeling (Lee Brown | Sammy Fain)

 

14-My Funny Valentine (Richard Rodgers | Lorenz Hart)

 

15-Do It The Hard Way (Richard Rodgers | Lorenz Hart)

 

16-You´D Be So Nice To Come Home To (Cole Porter)

 

17-As Time Goes By (Herman Hupfeld)

 

 

Trinta anos após lançar o primeiro álbum e liderar as paradas do Brasil, Nico Rezende esbanja maturidade em DVD em que canta e toca ao piano o repertório do cantor e trompetista norte-americano Chet Baker ao lado dos virtuosos músicos Guilherme Dias Gomes, Fernando Clark, Alex Rocha e André Tandeta. Do pop ao jazz com a mesma fluência e maestria.

 

O DVD pode ser considerado a mais agradável e sofisticada surpresa da discografia deste cantor, compositor, pianista, violonista e arranjador paulistano.

 

Baker gravou várias músicas incluídas por Nico Rezende no roteiro do show gravado ao vivo em 2016 no teatro do Centro de Artes UFF, em Niterói. “Chet Baker é uma referência que carrego desde a adolescência, período em que comecei a ouvir jazz. Sempre tive o sonho de montar um show cantando e tocando as músicas dele”, conta Nico.

 

O show começou a ser apresentado em várias cidades do Brasil, dois anos antes de ser registrado ao vivo, já em fase de maturação, em recital feito em traje de gala pelo fantástico quinteto formado por Nico Rezende (piano e voz), Guilherme Dias Gomes (trompete), Fernando Clark (guitarra), Alex Rocha (contrabaixo) e André Tandeta (bateria). Ainda assim, o projeto vai surpreender positivamente quem conhece somente o domínio que Nico tem na composição da música pop.

 

Por coincidência, o DVD chega ao mercado fonográfico neste ano de 2017, pela gravadora Fina Flor, 30 anos após o estouro do artista como cantor. Em 1987, Nico lançou o primeiro álbum solo, batizado com seu nome, e liderou as paradas do Brasil com Esquece e vem. Era impossível ligar o rádio sem ouvir a sedutora canção, também propagada na trilha sonora da novela O Outro, exibida pela TV Globo no mesmo ano.

 

Nessa fase de fama nacional, somente o público mais antenado sabia que estava diante de um artista completo, que mostrava no trato com a canção pop a mesma maestria com que canta e toca jazz neste segundo registro audiovisual de show da obra do cantor (o primeiro DVD, Nico Rezende & Convidados, foi lançado em 2010). É que Nico iniciara a carreira tocando em orquestras, antes de ser admitido na banda de Ritchie na função de tecladista.

 

Trinta anos, oito álbuns autorais e um DVD depois, o versátil cantor, compositor, músico e arranjador mostra em Nico Rezende canta Chet Baker porque foi convidado para produzir o primeiro álbum solo de Cazuza, gravado e lançado em 1985, e porque grandes nomes da música brasileira (Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Gal Costa, Lulu Santos e Marina Lima) já requisitaram os serviços de Nico como arranjador.

 

O quinteto virtuoso cria música na hora, de improviso, como manda a lei do jazz. Quem faz na hora é craque. Uma característica notável do vídeo é a coesão e a unidade da apresentação capturada pelas câmeras. É jazz e, como tal, há criação feita livremente no palco.

 

No bis, Nico Rezende faz a plateia entrar ainda mais no clima aconchegante da apresentação e incentiva o público a cantar os versos de You’d be so nice to come home to (Cole Porter, 1943). A resposta imediata do público confirma a sintonia reinante entre plateia e palco do Teatro do Centro Artes UFF na noite de 5 de junho de 2016.

 

 

 

 

2014 Fina Flor - Todos direitos reservados - Powered By ADS Hosting